quinta-feira, 19 de abril de 2007

vida poema

oscilante vida
mescla tristeza e alegria
alegria, tristeza
limpido nublado
semblante interior
semelhante triste
assemblage feita
feiura agrádavel
paupável amor
segundos assim e
depois a calmaria
negligenciar pra quê
tampouco desprezar
o caminho já foi aberto
inevitavél trilha
seria possível transferir
sua rota inabalável
sentido único, diria alguém

"qual é a parte da
tua estrada no meu
caminho" zeca baleiro.

desvio impossível
atalho impensável
rotatória, giratória
rotina inabalável
infalível.

dicotomias, preenchimentos
vazios, ocos, cheios
claro, escuro, obscuro.

semanas, meses, anos
decadas e o tempo
passou e percebeu-se
o quanto.

é isso percebeu-se o
quanto o tempo é
corriqueiro.

a massa compacta e
opaca, as vezes brilhante
e ofuscante.

a vida certamente é assim
dorida e deliciosa.

Ângela Lima.

4 comentários:

Sam disse...

Relção de poder!
O que é poder?

Anônimo disse...

o poder e tudo e supera qualquer coisa.

fred disse...

o poder supera ate mesmo a vida e conquista as mulheres

Anônimo disse...

Poder: forma de repressao velada que perpassa a sociedade,utrajando as minimas condições do SER humano.